Pesquisar
Close this search box.

Dele Recebi…

Dele Recebi… Homenagem de Maria Rosa ao seu pai, Jaime Sautchuk Por Maria Rosa Manzolillo Sautchuk   Dele recebi o dom da vida, e minha graça, Maria Rosa. Dele recebi inspiração, minha inquietude, minha resignação. Com a dele se parece minha mente, misturada com o coração. Por ele enfrentei desolação. Para ele seguirei firme, direitinho, […]

À sombra de Machado, as línguas indígenas

À sombra de Machado, as línguas indígenas “O tupi encontrou a incredulidade geral, o riso, a mofa, o escárnio; e levou-o  à loucura” –  (Lima Barreto: Triste fim de Policarpo Quaresma, 1911) Por: José Ribamar Bessa Freire/TaQuiPraTi Foi um momento histórico a mesa-redonda sobre “As línguas indígenas no Brasil do século XXI” realizada na terça […]

Seda vegana, feita com bagaço de laranja, viabiliza tecidos sustentáveis

Seda vegana, feita com bagaço de laranja, viabiliza tecidos sustentáveis Por Redação RPA Dados cruzados entre diferentes ONGs de apoio à causa ambiental apontam que a indústria da moda ocupa atualmente o segundo lugar no ranking das indústrias mais poluentes. Grande parte do que é produzido, de um jeito ou de outro, acaba gerando impacto ambiental. Há […]

Umbanda e Candomblé: conhecer é o caminho para o fim do preconceito

Umbanda e Candomblé: conhecer é o caminho para o fim do preconceito Cerca de 400 lideranças do Candomblé e da Umbanda estiveram presentes ao encontro entre 13 e 16 de junho Por Agatha Azevedo/Brasil de Fato Com a benção dos mais velhos e dos mais novos, o itan e o oriki — formas de cântico e oração dos povos […]

La culinária/A comida

La culinária/A comida: Se lo hace como cura, alquimia, magia pura Por Reinaldo Filho Vilas Bôas Bueno Se lo hace como cura: Alquimia, magia pura. Yo lo sepá – aún jamas; Algún qualquer que sea Que degústelo con permiso… Mis ilusiones y mis bandidos. Sienten talvez el pesado sabor de ajos, Mis manos de fe […]

Lampião, o adorável cangaceiro

Lampião, o adorável cangaceiro Passados 80 anos desde a sua morte, a figura de Virgulino Ferreira da Silva se consolida como símbolo nacional. A imagem do bandido, do cangaceiro comum, se esvai em definitivo. Dá lugar à de um sujeito doce, que costurava e bordava com a mesma destreza com que manejava a espingarda, o […]