Pesquisar
Close this search box.

O colar de ossos do presidente xauara

O colar de ossos do presidente xauara   Por Nyg Kuitá Kaingang “O adorno – colar – escolhido por Bolsonaro diz muito. Entre os Ameríndios, há aquilo que a literatura etnológica chama de Predação – quando você preda – captura – os atributos físicos ou espirituais do Outro para si. Não raras vezes, os atributos […]

O Bem-Te-Vi

O Bem-Te-Vi Thiago de Mello             O bem-te-vi que me perdoe, mas há momentos matinais em que o seu canto chega a incomodar, repetindo com insistência que me viu, que me viu…             São muitos, um repete a cantiga do outro. Mas tudo é perdoável, pela beleza do peito amarelo e a raja branca que […]

É bom estar aqui, vivendo!

É bom estar aqui, vivendo! Viver é bom. Quem argumenta positivamente sobre a dádiva de viver é o padre e filósofo Joacir D’Abadia, que numa reflexão intimista fala de viver, sobretudo com a verdade, com liberdade, reponsabilidade, consciência e com ética Neste momento estou vivendo! Oxalá, todos pudessem perceber que vivem. Aliás, viver é também […]

Cura para quase tudo: O sagrado feminino no ofício da Raizeira Telma Suely

Cura para quase tudo: O sagrado feminino

Cura para quase tudo: O sagrado feminino no ofício da Raizeira Telma Suely O ofício de raizeira, de cura e sublimação do Sagrado Feminino teve representante no Distrito Federal: Dona Francisca Raimunda do Núcleo Bandeirante. O Ervanário Cheiro de Terra  resgata essa ancestralidade e continua pelas mãos de Telma Suely Eliana Feitosa Entre cheiros de […]

Lições do Pau-Brasil: Os crimes ambientais

Lições do Pau-Brasil: Os crimes ambientais José Ribamar Bessa Freire, neste artigo, fala de contrabando do Pau-Brasil nos idos de 500 e poucos e faz uma analogia com o tempo de hoje, ferrenho e duro. Põe em pauta a política ambiental e do vilipêndio do nosso país,. De lá para cá, pouco mudou. Aliás, piorou […]

Deslembrança

Deslembrança – paredes carcomidas – teréns caídos no chão … As pessoas não sabem que há uma fenda na memória que fechou como casca de ferida não curada. Abaixo da superfície as lacunas são preenchidas com fantasmas e visagens. Rejane Araújo nos diz que a memória desnuda e que o tempo desmaterializado, passado tornando-se presente Os […]