Lula tem a maior votação da história, PT cresce no Congresso e nos estados

Lula tem a maior votação da história, PT cresce no Congresso e nos estados

Lula tem a maior votação da história, PT cresce no Congresso e nos estados

Com 57 milhões de votos, Luiz Inácio Lula da Silva (PT) se tornou o candidato à Presidência da República mais votado na história do Brasil…

Por Mauro Utida/via Mídia Ninja

“Quem teve a vitória que tivemos, seguramente a aumentará no segundo turno”, analisou o petista nesta segunda-feira (3) em reunião com a coordenação de sua campanha e com líderes dos partidos que formam a Coligação Brasil da Esperança, em São Paulo.

Neste domingo (2), Lula obteve 57 milhões de votos no primeiro turno e se tornou o candidato à Presidência da República mais votado na história do Brasil.

Ele concorrerá o segundo turno com o candidato a reeleição Jair Bolsonaro (PL) que obteve 51 milhões de votos. Na eleição deste domingo (2), o petista obteve 48,1% dos votos válidos, ante 43,4% do candidato da extrema-direita.

O candidato petista ressaltou ainda que, mesmo liberando bilhões e bilhões de reais de forma eleitoreira e usando o orçamento secreto para favorecer seus aliados de forma criminosa, Jair Bolsonaro acabou rejeitado pela maioria da população brasileira.

“60% do povo brasileiro rejeitou o atual governo. Rejeitou nas eleições. É importante lembrar que é a primeira vez que alguém que exerce o cargo de presidente perde no primeiro turno. E vai perder muito mais feio no segundo porque a nossa distância vai aumentar”, garantiu.

 

 

 

 

 

Crescimento no Congresso Nacional

Mesmo com o crescimento da extrema-direita nestas eleições, o resultado para a esquerda precisa ser comemorado. Na Câmara dos Deputados, a federação formada por PT-PCdoB-PV ampliou a sua bancada em 17%, passando de 68 para 80 deputados.

O grupo de esquerda formado por um total de 129 deputados terá a missão de fazer frente ao Centrão – formado por Republicanos (42), PP (47), PL (99), PSD (42), Patriota (4) e PTB (1) – que cresceu 7% e terá 235 deputados.

CONTINUA DEPOIS DO ANÚNCIO

A bancada do PT também cresceu no Senado, de 7 para 9 assentos, com a esquerda ganhando mais dois assentos. Lembrando que nesta eleição, estava em disputa apenas 1/3 das cadeiras do Senado. Quem mais perdeu assento no Senado foi o Centro (PSDB, PROS, PSD, MDB) que encolheu em 7 cadeiras.

A composição do Senado ainda depende das disputas do segundo por cinco senadores para o governo dos seus estados. Em quatro casos, a vitória do senador levará à posse de um suplente de outro partido.

Governo do Estado

Em relação as eleições para governador, o PT foi o partido que mais elegeu governadores no primeiro turno, foram três: Fátima Bezerra foi reeleita no Rio Grande do Norte, Rafael Fonteles venceu no Piauí e Elmano de Freitas no Ceará.

O partido ainda tem chance de vencer em mais quatro estados no segundo turno: Bahia, Sergipe, Santa Catarina e São Paulo.

Em São Paulo, o estado mais importante do Sudeste e do país, o partido vai disputar o segundo turno com o ex-prefeito da capital paulista e ex-ministro Fernando Haddad contra Tarcisio de Freitas (Republicanos).

Na Região Sul, em Santa Catarina, o ex-deputado federal Décio Lima vai enfrentar o senador Jorginho Mello (PL).

No Nordeste, o partido disputa o governo da Bahia, com Jerônimo Rodrigues, e em Sergipe com o atual senador Rogério Carvalho. Jerônimo disputará com ACM Neto (União Brasil). Já, Rogério Carvalho enfrentará o candidato Fábio Mitidieri (PSD).

Virada nos municípios

Na votação nos municípios, Lula virou em mais de 600 municípios que tinham votado em Jair Bolsonaro (PL) em 2018. Em compensação, o candidato a reeleição virou em só 24 municípios que eram petista, isso quer dizer que Bolsonaro perdeu em 24% dos municípios vencidos em 2018.

No primeiro turno da eleição anterior, o candidato da extrema-direita foi o mais votado em 2.850 municípios brasileiros, número que caiu para 2.191 em 2022. A queda mais expressiva foi no Sudeste.

 

Block

Era novembro de 2014. Primeiro fim de semana do mês. Plena campanha da Dilma. Fim de tarde na RPPN Linda Serra dos Topázios, do Jaime Sautchuk, em Cristalina, Goiás. Jaime e eu começamos a conversar sobre a falta que fazia termos acesso a um veículo de informação independente e democrático, mas com lado. Ali mesmo, naquela hora, resolvemos criar o nosso. Um espaço não comercial, de resistência. Um trabalho de militância, tipo voluntário, mas de qualidade, profissional.
Jaime propôs um jornal; eu, uma revista. O nome, Xapuri, eu escolhi (ele queria Bacurau). Dividimos as tarefas. A capa ficou com ele, a linha editorial também. Correr atrás de grana ficou por minha conta. A paleta de cores, depois de larga prosa, ele escolheu (eu queria verde-floresta).
Fizemos a primeira edição da Xapuri lá mesmo, na Reserva, praticamente em uma noite. Já voltei pra Brasília com uma revista montada e com a missão de dar um jeito de diagramar e imprimir.
Nos dias seguintes, o Jaime veio pra Formosa, pra convencer minha irmã Lúcia a revisar a revista, no modo grátis. Daqui, rumamos pra Goiânia, pra convidar o arqueólogo Altair Sales Barbosa para o Conselho Editorial. Altair foi o nosso primeiro conselheiro. Até a doença se agravar, Jaime fez questão de explicar o projeto e convidar, ele mesmo, cada pessoa para o Conselho.
O resto é história. Jaime e eu trilhamos juntos uma linda jornada. Depois da Revista Xapuri veio o site, vieram os e-books, a lojinha virtual (pra ajudar a pagar a conta), os podcasts e as lives, que ele amava. Em 80 meses, Jaime fez questão de decidir, mensalmente, o tema da capa e, quase sempre, escrever ele mesmo a matéria.
Na tarde do dia 14 de julho de 2021, aos 67 anos, depois de longa enfermidade, Jaime partiu para o mundo dos encantados. No dia 9 de julho, quando preparávamos a Xapuri 81, pela primeira vez em sete anos, ele me pediu para cuidar de tudo. Foi uma conversa triste, ele estava agoniado com o agravamento da doença e com a tragédia que o Brasil enfrentava. Não falamos em morte, mas eu sabia que era o fim.
É isso. Agora aqui estou eu, com uma turma fantástica, tocando nosso projeto, na fé, mas às vezes falta grana. Você pode me ajudar a manter o projeto assinando nossa revista, que está cada dia mió, como diria o Jaime. Você também pode contribuir conosco comprando um produto em nossa lojinha solidária (lojaxapuri.info) ou fazendo uma doação via pix: contato@xapuri.info. Gratidão!
Zezé Weiss
Editora