Pesquisar
Close this search box.

Nova pesquisa destaca a importância de manter a floresta em pé

Nova pesquisa traz dados sobre a importância de manter a floresta em pé para o desenvolvimento

Desenvolver uma Amazônia Legal de forma sustentável é uma oportunidade para o crescimento econômico e o desenvolvimento qualificado e inclusivo. É o que demonstra um estudo publicado pela WRI Brasil em parceria com 76 especialistas de instituições científicas de diversas regiões do Brasil chamado “A Nova Economia da Amazônia”. O estudo mostrou com dados e informações científicas a importância que manter a floresta em pé pode representar para o desenvolvimento.

Por Rebecca Lorenzetti /Mídia Ninja

A economia da Amazônia Legal (AML) se destaca por uma complexa teia de características estruturais que influenciam diretamente o panorama socioeconômico da região. O relatório detalhado sobre a AML revela uma especialização regional na produção, principalmente de commodities agrícolas e minerais de baixo valor agregado e intensivas em emissões de carbono. A administração pública contribui de forma significativa para a formação do PIB, enquanto a informalidade, baixa qualificação profissional e salários abaixo da média nacional marcam a força de trabalho.

O relatório destaca que mais de 50% dos empregos na AML não possuem relação formal de trabalho, superando a média nacional de 35%. Nas atividades rurais, a informalidade atinge impressionantes 80%, comparados aos 60% no restante do Brasil. A participação feminina no mercado de trabalho é inferior à média nacional, enquanto pessoas negras e indígenas têm uma presença notavelmente alta, representando quase 80% dos ocupados, em comparação com 74% no cenário nacional.

O Produto Interno Bruto (PIB) da AML em 2015 foi de R$ 497 bilhões, correspondendo a 8,3% do total brasileiro. As exportações internacionais, predominantemente no Mato Grosso e Pará, somaram R$ 96 bilhões, representando 15% do PIB da AML. A desigualdade fundiária, por outro lado, permanece inalterada nas últimas quatro décadas, com um índice de Gini* de 0,80.

A renda per capita, próxima à média nacional de R$ 37,7 mil em áreas específicas, destaca-se no centro-sul do Mato Grosso e no aglomerado de Manaus. Nas outras regiões, a renda está abaixo da média nacional, especialmente nas áreas mais pobres do interior do Amazonas, oeste do Maranhão e Marajó-Baixo Tocantins, no Pará.

O relatório destaca a necessidade de uma nova abordagem econômica para a região, enfocando a “Geração inclusiva de riqueza e conservação e expansão de ativos ambientais” como a chave para a Nova Economia da Amazônia (NEA). A transição para uma economia de baixo carbono envolve a substituição gradual de combustíveis fósseis por recursos locais renováveis e o desenvolvimento de infraestrutura sustentável. O acesso à conectividade digital é visto como um elemento crucial para o desenvolvimento regional e a transição para uma economia de baixo carbono.

O relatório enfatiza que o desafio da Amazônia vai além das fronteiras econômicas. A NEA exige uma transformação significativa nos sistemas energéticos, infraestrutura e formas de trabalho. A inclusão digital, a diversificação de fontes de energia e o cuidado com a biodiversidade emergem como pontos críticos para uma transição sustentável. O caminho para uma economia amazônica mais equitativa e ambientalmente consciente está delineado, mas sua execução demandará esforços coordenados de diversos setores e níveis de governo.

*O Índice de Gini, criado pelo matemático italiano Conrado Gini, é um instrumento para medir o grau de concentração de renda em determinado grupo. Ele aponta a diferença entre os rendimentos dos mais pobres e dos mais ricos

Relatório completo em Wribrasil.

Foto: Mídia Ninja.
0 0 votos
Avaliação do artigo
Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks embutidos
Ver todos os comentários

Parcerias

Ads2_parceiros_CNTE
Ads2_parceiros_Bancários
Ads2_parceiros_Sertão_Cerratense
Ads2_parceiros_Brasil_Popular
Ads2_parceiros_Entorno_Sul
Ads2_parceiros_Sinpro
Ads2_parceiros_Fenae
Ads2_parceiros_Inst.Altair
Ads2_parceiros_Fetec
previous arrowprevious arrow
next arrownext arrow

REVISTA

REVISTA 114
REVISTA 113
REVISTA 112
REVISTA 111
REVISTA 110
REVISTA 109
REVISTA 108
previous arrowprevious arrow
next arrownext arrow

CONTATO

logo xapuri

posts recentes

×