Pesquisar
Close this search box.
Cérebro

Conheça seis dos super poderes do cérebro humano

Conheça seis dos super poderes do cérebro humano

Maravilhe-se com o poder da mente humana!…

Via Notícias ao Minuto

Segundo a neurociência, o cérebro possui uma capacidade excepcional de realizar atividades sem o envolvimento da consciência — ou seja, sem que as pessoas se deem conta, explica a Revista Galileu. Estudo após estudo, a complexidade da mente humana não para de espantar os cientistas. Descubra na galeria acima seis dos superpoderes da máquina mais eficiente já criada pela natureza!

01. Auto programar-se para acordar – Um estudo da Universidade de Lubeck, na Alemanha, instruiu  um grupo de voluntários para que se deitassem à meia-noite, durante três noites. Os participantes foram divididos em dois grupos, sendo que um seria acordado às nove, e outro às seis da manhã. Com o grupo das nove, os pesquisadores adiantaram o horário de despertar, e acordaram-nos igualmente às seis da manhã.  Quem foi acordado às seis da manhã teve um pico de corticotrofina — hormônio do estresse — no organismo durante as quatro e meia da madrugada e as seis da manhã. Já as pessoas que foram acordadas de surpresa às seis não tiveram esse problema. Para os especialistas, o inconsciente pode ativar o relógio biológico para acelerar o processo de despertar.
 
Cérebro
© iStock

02. Saber onde os membros estão, sem ‘pensar’ – A habilidade é chamada de propriocepção e resulta da ‘conversa’ constante entre o corpo e o cérebro. Ou seja, dos nervos e músculos e das sensações exteriores ao corpo.  “O cérebro sabe onde o corpo termina e onde o ambiente exterior começa”, disse Arvid Guterstam, do Instituto Karolinska, na Suécia. 

Cérebro
© iStock

03. Perceber rapidamente do caráter de alguém que acabou de conhecer – Para os especialistas, a linguagem corporal é entendida pelo subconsciente, que consegue de imediato ‘classificar’ a personalidade de alguém. 

Cérebro
© iStock

04. Criar hábitos – O córtex pré-frontal — envolvido em tarefas complexas — comunica com o estriado (região do cérebro responsável pela fomentação de hábitos), que por sua vez envia sinais para ativar movimentos.   Com o tempo, os sinais são substituídos pela ligação do estriado com o córtex motor. Esses ciclos, juntamente com os circuitos de memória, permite a repetição de ações sem ser necessário o chamado pensamento ativo. 

Cérebro
© iStoc

05. Tomar decisões complexas – Uma pesquisa da Universidade de Nijmegen, na Holanda, apontou que o subconsciente é capaz de fazer melhores escolhas do que o consciente. De acordo com o estudo, a abstração de um problema pode ser algo positivo, já que o inconsciente consegue ir além da capacidade da memória ativa no momento da decisão.

Cérebro
© iStock

06. Identificar sons e imagens antecipadamente – Vários estudos realizados revelam que quando alguém espera que um som ou imagem apareça, o cérebro gera um sinal antecipado com sensores do córtex.  A habilidade de estar um passo à frente é importante para entender discursos. “O cérebro continuamente prevê sons, palavras e significados que os indivíduos estão a tentar produzir ou comunicar”, elucida o professor Matt Davis, doecente na Universidade de Cambridge, no Reino Unido. “Apenas notamos um objeto quando o inconsciente calcula a sua importância.” 

Cérebro
© iStock

Fonte: Notícias ao Minuto

Block
Block

Era novembro de 2014. Primeiro fim de semana. Plena campanha da Dilma. Fim de tarde na RPPN dele, a Linda Serra dos Topázios. Jaime e eu começamos a conversar sobre a falta que fazia termos acesso a um veículo independente e democrático de informação.

Resolvemos fundar o nosso. Um espaço não comercial, de resistência. Mais um trabalho de militância, voluntário, por suposto. Jaime propôs um jornal; eu, uma revista. O nome eu escolhi (ele queria Bacurau). Dividimos as tarefas. A capa ficou com ele, a linha editorial também.

Correr atrás da grana ficou por minha conta. A paleta de cores, depois de larga prosa, Jaime fechou questão – “nossas cores vão ser o vermelho e o amarelo, porque revista tem que ter cor de luta, cor vibrante” (eu queria verde-floresta). Na paz, acabei enfiando um branco.

Fizemos a primeira edição da Xapuri lá mesmo, na Reserva, em uma noite. Optamos por centrar na pauta socioambiental. Nossa primeira capa foi sobre os povos indígenas isolados do Acre: ‘Isolados, Bravos, Livres: Um Brasil Indígena por Conhecer”. Depois de tudo pronto, Jaime inventou de fazer uma outra boneca, “porque toda revista tem que ter número zero”.

Dessa vez finquei pé, ficamos com a capa indígena. Voltei pra Brasília com a boneca praticamente pronta e com a missão de dar um jeito de imprimir. Nos dias seguintes, o Jaime veio pra Formosa, pra convencer minha irmã Lúcia a revisar a revista, “de grátis”. Com a primeira revista impressa, a próxima tarefa foi montar o Conselho Editorial.

Jaime fez questão de visitar, explicar o projeto e convidar pessoalmente cada conselheiro e cada conselheira (até a doença agravar, nos seus últimos meses de vida, nunca abriu mão dessa tarefa). Daqui rumamos pra Goiânia, para convidar o arqueólogo Altair Sales Barbosa, nosso primeiro conselheiro. “O mais sabido de nóis,” segundo o Jaime.

Trilhamos uma linda jornada. Em 80 meses, Jaime fez questão de decidir, mensalmente, o tema da capa e, quase sempre, escrever ele mesmo. Às vezes, ligava pra falar da ótima ideia que teve, às vezes sumia e, no dia certo, lá vinha o texto pronto, impecável.

Na sexta-feira, 9 de julho, quando preparávamos a Xapuri 81, pela primeira vez em sete anos, ele me pediu para cuidar de tudo. Foi uma conversa triste, ele estava agoniado com os rumos da doença e com a tragédia que o Brasil enfrentava. Não falamos em morte, mas eu sabia que era o fim.

Hoje, cá estamos nós, sem as capas do Jaime, sem as pautas do Jaime, sem o linguajar do Jaime, sem o jaimês da Xapuri, mas na labuta, firmes na resistência. Mês sim, mês sim de novo, como você sonhava, Jaiminho, carcamos porva e, enfim, chegamos à nossa edição número 100. E, depois da Xapuri 100, como era desejo seu, a gente segue esperneando.

Fica tranquilo, camarada, que por aqui tá tudo direitim.

Zezé Weiss

P.S. Você que nos lê pode fortalecer nossa Revista fazendo uma assinatura: www.xapuri.info/assine ou doando qualquer valor pelo PIX: contato@xapuri.info. Gratidão!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Parcerias

Ads2_parceiros_CNTE
Ads2_parceiros_Bancários
Ads2_parceiros_Sertão_Cerratense
Ads2_parceiros_Brasil_Popular
Ads2_parceiros_Entorno_Sul
Ads2_parceiros_Sinpro
Ads2_parceiros_Fenae
Ads2_parceiros_Inst.Altair
Ads2_parceiros_Fetec
previous arrowprevious arrow
next arrownext arrow

REVISTA

REVISTA 115
REVISTA 114
REVISTA 113
REVISTA 112
REVISTA 111
REVISTA 110
REVISTA 109
previous arrowprevious arrow
next arrownext arrow

CONTATO

logo xapuri

posts recentes