Ashtray with cigarette butts

Tabagismo: Previstas 8 milhões de mortes por ano, afirma OMS

Tabagismo: Previstas 8 milhões de mortes por ano, afirma OMS

Daqui por diante, a cada ano, o tabagismo matará cerca de 8 milhões de pessoas , cerca de 30% a mais do que já mata hoje. O dado vem de um estudo da Organização Mundial da Saúde (OMS) junto com o Instituto Nacional do Câncer dos Estados Unidos, publicado esta semana.

“O número anual de mortes relacionados ao tabagismo está previsto a aumentar de 6 milhões para 8 milhões até 2030, com mais de 80 porcento dos óbitos ocorrendo em países de renda média e baixa”, diz o estudo.  Cerca de 80 porcento de fumantes do planeta vivem nesses países e este número está aumentando. Segundo especialistas da saúde, o consumo de tabaco é a maior causa de morte que pode ser prevenida no mundo.

Além das perdas humanas, o estudo aponta que o tabagismo já acarreta à economia do mundo  prejuízos de $1 trilhão, superando rendimentos obtidos pela taxação d0 tabaco,  que foram $269 bi para o ano fiscal de 2013-2014. “O tabaco é responsável por cerca de R$ trilhão em custos médicos e perdas em produtividade somente todos os anos” segundo o estudo de 688 páginas, que foi analisado por mais de 70 cientistas.

O que fazer

O estudo recomenda a implementação de políticas eficientes como o aumento da taxação dos produtos de tabagismo,  proibição completa do marketing destes produtos e rótulos grandes nas suas embalagens. Medidas já adotadas no Brasil, fazendo o país se um pioneiro no combate ao tabagismo no mundo.

cigarro tabagismo

Os tributos sobre o tabaco poderão ser reutilizados para financiar campanhas de publicidade contra o tabagismo,  como também para serviços e tratamentos, segundo o estudo. Para o ano de 2013-2014, os governos do mundo gastaram menos de $1 bi em controle ao tabagismo.

Na Austrália,  há vigorosos leis proibindo empresas de cigarro usarem logomarcas e embalagens distintivos, proibindo o uso de design nos produtos. Por esta razão países produtoras de cigarros como Indonésia, Honduras e República Dominicana denunciaram a Austrália para a Organização Mundial do Comércio (OMC).

O embate será julgado este ano pela organização e será visto com interesse por outros países considerando aplicar políticas semelhantes de proibição de design como Noruega, Canadá , Singapura e África do Sul.

A Rússia está planejando levar o combate ao tabagismo ainda mais em diante. O país considera banir a venda de cigarros, por completo, começando no ano 2033. Efetivamente proibindo o consumo para a geração que está nascendo hoje no país.

CONTINUA DEPOIS DO ANÚNCIO

Fontes: Reuters, Forbes

https://xapuri.info/tabagismo-menos-cigarro-menos-cancer/

Block

Era novembro de 2014. Primeiro fim de semana do mês. Plena campanha da Dilma. Fim de tarde na RPPN Linda Serra dos Topázios, do Jaime Sautchuk, em Cristalina, Goiás. Jaime e eu começamos a conversar sobre a falta que fazia termos acesso a um veículo de informação independente e democrático, mas com lado. Ali mesmo, naquela hora, resolvemos criar o nosso. Um espaço não comercial, de resistência. Um trabalho de militância, tipo voluntário, mas de qualidade, profissional.
Jaime propôs um jornal; eu, uma revista. O nome, Xapuri, eu escolhi (ele queria Bacurau). Dividimos as tarefas. A capa ficou com ele, a linha editorial também. Correr atrás de grana ficou por minha conta. A paleta de cores, depois de larga prosa, ele escolheu (eu queria verde-floresta).
Fizemos a primeira edição da Xapuri lá mesmo, na Reserva, praticamente em uma noite. Já voltei pra Brasília com uma revista montada e com a missão de dar um jeito de diagramar e imprimir.
Nos dias seguintes, o Jaime veio pra Formosa, pra convencer minha irmã Lúcia a revisar a revista, no modo grátis. Daqui, rumamos pra Goiânia, pra convidar o arqueólogo Altair Sales Barbosa para o Conselho Editorial. Altair foi o nosso primeiro conselheiro. Até a doença se agravar, Jaime fez questão de explicar o projeto e convidar, ele mesmo, cada pessoa para o Conselho.
O resto é história. Jaime e eu trilhamos juntos uma linda jornada. Depois da Revista Xapuri veio o site, vieram os e-books, a lojinha virtual (pra ajudar a pagar a conta), os podcasts e as lives, que ele amava. Em 80 meses, Jaime fez questão de decidir, mensalmente, o tema da capa e, quase sempre, escrever ele mesmo a matéria.
Na tarde do dia 14 de julho de 2021, aos 67 anos, depois de longa enfermidade, Jaime partiu para o mundo dos encantados. No dia 9 de julho, quando preparávamos a Xapuri 81, pela primeira vez em sete anos, ele me pediu para cuidar de tudo. Foi uma conversa triste, ele estava agoniado com o agravamento da doença e com a tragédia que o Brasil enfrentava. Não falamos em morte, mas eu sabia que era o fim.
É isso. Agora aqui estou eu, com uma turma fantástica, tocando nosso projeto, na fé, mas às vezes falta grana. Você pode me ajudar a manter o projeto assinando nossa revista, que está cada dia mió, como diria o Jaime. Você também pode contribuir conosco comprando um produto em nossa lojinha solidária (lojaxapuri.info) ou fazendo uma doação via pix: contato@xapuri.info. Gratidão!
Zezé Weiss
Editora

CONTINUA DEPOIS DO ANÚNCIO