Pesquisar
Close this search box.

O corpo que fala: A identidade à flor da pele no folclore surdo

folclore surdo

“O Gesto é anterior à Palavra. Dedos e braços falaram milênios antes da Voz”, já lembrava Luís da Câmara Cascudo em A História de Nossos Gestos, de 1973. Afinal, a corporalidade era meio de comunicação e linguagem da espécie humana quando a oralidade ainda engatinhava entre grunhidos, interjeições e onomatopeias. Esse folclore gestual ainda hoje passa […]

×