Pesquisar
Close this search box.
Árvore-símbolo de Goiás é o Pequizeiro

Árvore símbolo de Goiás é o Pequizeiro

Árvore símbolo de Goiás é o Pequizeiro
 
O pequizeiro é  a árvore símbolo de Goiás. Embora com vetos, em 10 de novembro de 2016, o governador Marconi Perillo (PSDB) sancionou o projeto de lei da deputada Adriana Accorsi (PT)  que transforma o pequizeiro como árvore símbolo do estado de Goiás.
 
Os dois principiais pontos vetados são a normatização da derrubada do pequizeiro e as penalidades para quem infringir a lei. Para a deputada Adriana Accorsi, o passo mais importante foi dado, que é o reconhecimento do pequizeiro como peça-chave por seu valor como espécie no bioma Cerrado e por seu valor inestimável como símbolo da cultura goiana.
 
“Foi dado o primeiro passo, conseguimos dar importância ao pequizeiro e ao seu papel de espécie chave para a conservação da fauna nativa do bioma Cerrado. O povo goiano agora vê atendida a sua justa reivindicação de ter o pequizeiro como a “nossa árvore” por seu valor enquanto espécie e por seu símbolo cultural”, declarou a deputada ao comentar a aprovação da Lei.
 
Árvore-símbolo de Goiás é o PequizeiroFoto: www.mudasdepequi.com.br
SOBRE O PEQUI 

O pequi (Endocar brasiliensis) é um fruto silvestre típico do Cerrado, com ciclo produtivo de novembro a fevereiro. O nome pequi é de origem indígena, vem do Tupi e significa fruta espinhenta (“py”, casca, pele, e “qui”, espinho). O sabor marcante, inconfundível e inesquecível do pequi reforça os valores da tradição entre as populações do Cerrado.

Na gastronomia Cerratense, o pequi tanto é usado em pratos como pequi puro, pequi com arroz, pequi com frango, ou na produção de sobremesas e licores. No interior do Brasil, muitas famílias agricultoras usam o pequi também para a produção de sabão caseiro. Embora com menos frequência, as sementes também são utilizadas para a produção e óleos e essências.

O pequizeiro é uma árvore frondosa. Quando adulta alcança entre 12 e 15 metros de altura. Seu tronco sinuoso e grosso chega a 2 metros de circunferência. Os frutos de cor verde-amarelada trazem até 4 sementes, protegidas por milhares e espinhos. A massa volumosa de cor amarelo-dourado-laranja forte que envolve as sementes é a parte mais usada na gastronomia do Cerrado.

pequi beneficiosFoto: autoria desconhecida

O perigo do pequi é o espinho. A experiência de um espinho de pequi na língua é dolorosa e inesquecível, dizem. Quem já passou pela experiência tem sempre uma história pra contar, e não costuma ser das boas. Então, pra muita gente, espinho de pequi só serve pra encrencar os incautos.

Na natureza, porém, o espinho de pequi tem um papel fundamental. Sua função é proteger o embrião do fruto, que fica na amêndoa protegida pelos espinhos. Como o fruto é saboroso e muito apreciado pelos animais dispersores de sementes, como a anta, a capivara, o lobo guará, a paca, a preá, o rato do campo que, por conta da proteção natural, comem só a polpa e, assim, preservam as sementes e o destino dos pequizeiros.


Block
revista 115

Era novembro de 2014. Primeiro fim de semana. Plena campanha da Dilma. Fim de tarde na RPPN dele, a Linda Serra dos Topázios. Jaime e eu começamos a conversar sobre a falta que fazia termos acesso a um veículo independente e democrático de informação.

Resolvemos fundar o nosso. Um espaço não comercial, de resistência. Mais um trabalho de militância, voluntário, por suposto. Jaime propôs um jornal; eu, uma revista. O nome eu escolhi (ele queria Bacurau). Dividimos as tarefas. A capa ficou com ele, a linha editorial também.

Correr atrás da grana ficou por minha conta. A paleta de cores, depois de larga prosa, Jaime fechou questão – “nossas cores vão ser o vermelho e o amarelo, porque revista tem que ter cor de luta, cor vibrante” (eu queria verde-floresta). Na paz, acabei enfiando um branco.

Fizemos a primeira edição da Xapuri lá mesmo, na Reserva, em uma noite. Optamos por centrar na pauta socioambiental. Nossa primeira capa foi sobre os povos indígenas isolados do Acre: ‘Isolados, Bravos, Livres: Um Brasil Indígena por Conhecer”. Depois de tudo pronto, Jaime inventou de fazer uma outra boneca, “porque toda revista tem que ter número zero”.

Dessa vez finquei pé, ficamos com a capa indígena. Voltei pra Brasília com a boneca praticamente pronta e com a missão de dar um jeito de imprimir. Nos dias seguintes, o Jaime veio pra Formosa, pra convencer minha irmã Lúcia a revisar a revista, “de grátis”. Com a primeira revista impressa, a próxima tarefa foi montar o Conselho Editorial.

Jaime fez questão de visitar, explicar o projeto e convidar pessoalmente cada conselheiro e cada conselheira (até a doença agravar, nos seus últimos meses de vida, nunca abriu mão dessa tarefa). Daqui rumamos pra Goiânia, para convidar o arqueólogo Altair Sales Barbosa, nosso primeiro conselheiro. “O mais sabido de nóis,” segundo o Jaime.

Trilhamos uma linda jornada. Em 80 meses, Jaime fez questão de decidir, mensalmente, o tema da capa e, quase sempre, escrever ele mesmo. Às vezes, ligava pra falar da ótima ideia que teve, às vezes sumia e, no dia certo, lá vinha o texto pronto, impecável.

Na sexta-feira, 9 de julho, quando preparávamos a Xapuri 81, pela primeira vez em sete anos, ele me pediu para cuidar de tudo. Foi uma conversa triste, ele estava agoniado com os rumos da doença e com a tragédia que o Brasil enfrentava. Não falamos em morte, mas eu sabia que era o fim.

Hoje, cá estamos nós, sem as capas do Jaime, sem as pautas do Jaime, sem o linguajar do Jaime, sem o jaimês da Xapuri, mas na labuta, firmes na resistência. Mês sim, mês sim de novo, como você sonhava, Jaiminho, carcamos porva e, enfim, chegamos à nossa edição número 100. E, depois da Xapuri 100, como era desejo seu, a gente segue esperneando.

Fica tranquilo, camarada, que por aqui tá tudo direitim.

Zezé Weiss

P.S. Você que nos lê pode fortalecer nossa Revista fazendo uma assinatura: www.xapuri.info/assine ou doando qualquer valor pelo PIX: contato@xapuri.info. Gratidão!

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Parcerias

Ads2_parceiros_CNTE
Ads2_parceiros_Bancários
Ads2_parceiros_Sertão_Cerratense
Ads2_parceiros_Brasil_Popular
Ads2_parceiros_Entorno_Sul
Ads2_parceiros_Sinpro
Ads2_parceiros_Fenae
Ads2_parceiros_Inst.Altair
Ads2_parceiros_Fetec
previous arrowprevious arrow
next arrownext arrow

REVISTA

REVISTA 115
REVISTA 114
REVISTA 113
REVISTA 112
REVISTA 111
REVISTA 110
REVISTA 109
previous arrowprevious arrow
next arrownext arrow

CONTATO

logo xapuri

posts recentes