Pesquisar
Close this search box.

Cinema no Cerrado

Cinema no Cerrado

V FESTIVAL DE CINEMA DE ANÁPOLIS REFORÇA VALORES DA IDENTIDADE CULTURAL CERRATENSE

Em sua quinta edição consecutiva, o Festival de Cinema de Anápolis, agendado para a semana de 25 a 31 de maio de 2015, consolida a difusão da sétima arte na região central do Brasil. Exatamente no local que foi palco de intensa presença intelectual e artística entre os anos 1930 e 1970, o V Festival de Cinema de Anápolis reforça os valores da identidade cultural cerratense.

O evento, organizado pela Prefeitura Municipal e realizado pela Secretaria Municipal de Cultura, oferecerá às pessoas amantes da cultura brasileira uma ampla programação, com quatro mostras competitivas, uma mostra paralela, exibições para o público infantil, oficinas, debates, mesas redondas, exposições, lançamento de livros, um encontro cineclubista e um fórum setorial sobre cinema.

Inovando uma vez mais, em 2015 o Festival apresentará curtas-metragens nas mostras competitivas. “Inovamos também na abertura de espaço aos talentos locais e regionais. Este ano, o Festival abre oportunidades para cineastas do Centro-Oeste e de Anápolis, incluindo o lançamento do ‘Minuto Anapolino’ como parte das mostras competitivas”, diz o Secretário Municipal de Cultura, Augusto César de Almeida.

Outra grande novidade do Festival em 2015 é o “Cinema na Calçada”, que percorrerá os bairros da cidade com a mostra itinerante de filmes e rodas de prosa sobre Cinema e Sustentabilidade. “Queremos nossa cidade cheia de amantes da cultura e da arte, queremos o resgate da nossa tradição cultural desde os tempos da chegada dos imigrantes em busca da Terra Prometida, mas queremos também, e principalmente, nossa comunidade nas calçadas, discutindo e traçando caminhos para a nossa cultura e para a nossa vida em comunidade por meio do Festival”, comenta o prefeito João Gomes.

O V Festival de Cinema de Anápolis distribuirá R$ 73 mil em prêmios, nas seguintes categorias:

  1. Filmes de Curta-Metragem Nacionais de Ficção (convidados);
  2. Filmes de Curta-Metragem de Ficção e Documentários do Centro-Oeste;
  3. Filmes de Curta-Metragem de Ficção e Documentários de Anápolis;
  4. Filmes “Um Minuto Anapolino”;
  5. Prêmio Incentivar Anapolino. Dos R$ 73 mil em prêmios, R$ 43 mil serão outorgados a produções anapolinas.

Em 2015, o V Festival será aberto com a exibição do filme “A Última Estação”, de Márcio Cury, que conta a história da migração árabe para o Brasil, dando sequência ao costume de apresentar filmes documentais na abertura da Mostra.

A prática se repete desde o I Festival de Cinema de Anápolis, realizado em 2011, quando foi exibido o filme “Hollywood no Cerrado”, dos cineastas brasilienses Tânia Montoro e Armando Bulcão, contando a história da migração de celebridades norte-americanas para Anápolis em busca do sonho da Terra Prometida.

Informações sobre o V Festival de Cinema de Anápolis, sobre os festivais anteriores e sobre a própria história anapolina da presença hollywoodiana no Cerrado podem ser obtidas no site da Prefeitura Municipal de Anápolis: www.anapolis.go.gov.br

EM BUSCA DA TERRA PROMETIDA

No início dos anos 1930 e por boa parte das décadas seguintes, Anápolis era como se fosse o centro da Terra no Centro-Oeste brasileiro. Enquanto Goiânia era construída como cidade administrativa, era em Anápolis que a rede ferroviária parava. E era em Anápolis que tinha aeroporto. A cidade representava, à época, a porta de entrada para a Terra Prometida, no coração do Brasil Central.

Foi em busca dessa Terra Prometida que mais de mil famílias norte-americanas e inglesas chegaram a Goiás, via Anápolis, nas décadas de 40 e 50 do século passado. A migração ao Brasil Central era, sob todos os aspectos, atípica. As famílias migrantes não fugiam de guerras, nem cortavam o oceano em busca de trabalho. A maioria era formada por intelectuais, religiosos, empresários, artistas, alguns famosos em Hollywood, a Meca do cinema mundial.

O sonho da vida no Paraíso consolidou-se, em grande parte, depois da publicação do livro The Promised Land (A Terra Prometida) por Joan Lowell, atriz do cinema mudo – chegou a contracenar com Charles Chaplin no filme The Gold Rush – aventureira, desbravadora e facilitadora da vinda das famílias para o Brasil. Em um cruzeiro de férias pela América do Sul, Lowell conheceu o capitão Leek Bowen, que andava em busca de “descobrir novo rincão, o mais longe possível da civilização”. Juntos, os dois desenvolveram um lucrativo negócio de venda de terras e de sonhos no sertão goiano.

A CAMINHO DA TERRA PROMETIDA

Para chegar a Anápolis, o casal Irving e Jeanette Weiss, de Nova York, embarcou em um navio no começo dos anos 1950 com uma carga inteira de móveis finos, os filhos Martin, Joseph e Linda, e a gata de estimação. O filho Joseph conta que a bagagem era tanta que, ao chegarem ao Rio de Janeiro, tiveram que esperar quase um mês pela liberação da alfândega. No Rio, acomodaram-se no Copacabana Palace, que é onde se hospedava a nata da migração americana a caminho da Terra Prometida.

A viagem de trem a Anápolis levava dias. Ao chegarem, as famílias buscavam estabelecer-se em chácaras e pequenas fazendas, próximas à cidade, para que as crianças pudessem frequentar a escola. Das famílias que vieram na mesma época, umas investiram em educação, fundando o Ginásio Couto Magalhães, hoje Universidade Evangélica. Outras foram para o comércio e montaram lojas, um açougue e a primeira fábrica de massas de Anápolis.

Vegetarianos e pioneiros do ambientalismo, Jeanette e Irving tinham o sonho de plantar florestas de frutas tropicais. Os filhos contam que Jeanette moía abóbora e passava a massa no pelo da gata da família para torná-la vegetariana. Produziam, na chácara alugada, a 8 km da cidade, os vegetais orgânicos que consumiam.

Entre idas e vindas ao centro financeiro de Nova York, Irving desbravava o interior de Goiás buscando as terras férteis para o seu pomar tropical. A dificuldade de comunicação – gastava-se quase um dia para chegar a Goiânia e, de lá, falar por telefone com Nova York –, a distância dos negócios e a saudade da vida urbana fizeram com que a família voltasse para os Estados Unidos.

Porém, muitas famílias ficaram. Muitas outras continuaram a chegar. Dentre elas, uma leva de artistas famosas de Hollywood, sob a liderança da estrela Mary Martin.

cartaz-Hollywood-no-Cerrado1

HOLLYWOOD NO CERRADO

A Terra Prometida no livro de Lowell ganhou corações e mentes hollywoodianas. Interessada, Mary Martin, a estrela do famoso filme sobre Peter Pan, jantou com os Weiss no exclusivo restaurante Tavern on the Green, no Central Park, em Nova York, para saber mais sobre a vida em Anápolis. Em seguida, tomou o rumo do Brasil Central, onde comprou fazenda e montou casa. Além do marido e da família, trouxe consigo a amiga Janet Gaynor, também atriz famosa nos Estados Unidos.

As vidas das famílias de Mary Martin e Janet Gaynor em Anápolis foram retratadas no filme Hollywood no Cerrado, dos cineastas brasilienses Armando Bulcão e Tânia Montoro. O filme, apresentado no I Festival de Cinema de Anápolis em 2010, mostra a relação da comunidade local com suas moradoras famosas. Mais que isso, o filme retrata os usos e costumes de uma cidade pacata tomada pelas novidades da cultura cinematográfica, da construção da rodovia Belém-Brasília, dos indícios de uma vida cosmopolita até então inimaginável.

O lançamento do filme documental sobre a presença de Hollywood no Cerrado coincide com a trajetória contínua da promoção do município de Anápolis como polo de cultura da região Centro-Oeste. Desde 2010, a Prefeitura Municipal mantém, no mês de maio de cada ano, o Festival de Cinema de Anápolis. Agora em sua quinta edição, o Festival promete continuar resgatando os valores e a identidade da cultura local e regional.

12/05/2015


Salve! Pra você que chegou até aqui, nossa gratidão! Agradecemos especialmente porque sua parceria fortalece este nosso veículo de comunicação independente, dedicado a garantir um espaço de Resistência pra quem não tem vez nem voz neste nosso injusto mundo de diferenças e desigualdades. Você pode apoiar nosso trabalho comprando um produto na nossa Loja Xapuri ou fazendo uma doação de qualquer valor pelo PIX: contato@xapuri.info. Contamos com você! P.S. Segue nosso WhatsApp: 61 9 99611193, caso você queira falar conosco a qualquer hora, a qualquer dia. GRATIDÃO!


E-Book A Verdade Vencerá – Luiz Inácio Lula da Silva

Em entrevista aos jornalistas Juca Kfouri e Maria Inês Nassif, Lula expressa sua indignação com o massacre sofrido ante a farsa da Lava Jato. Imperdível!
COMPRE AQUI

0 0 votos
Avaliação do artigo
Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks embutidos
Ver todos os comentários

Parcerias

Ads2_parceiros_CNTE
Ads2_parceiros_Bancários
Ads2_parceiros_Sertão_Cerratense
Ads2_parceiros_Brasil_Popular
Ads2_parceiros_Entorno_Sul
Ads2_parceiros_Sinpro
Ads2_parceiros_Fenae
Ads2_parceiros_Inst.Altair
Ads2_parceiros_Fetec
previous arrowprevious arrow
next arrownext arrow

REVISTA

REVISTA 112
REVISTA 109
REVISTA 110
REVISTA 111
REVISTA 108
REVISTA 107
REVISTA 106
previous arrowprevious arrow
next arrownext arrow

CONTATO

logo xapuri

posts recentes