LOGO BRANCA XAPURI
Pesquisar
Close this search box.

Morte de Marielle é consequência do golpe

MORTE DE MARIELLE É CONSEQUÊNCIA DO GOLPE
Por Eleonora de Lucena e Rodrigo de Lucena/Tutaméia

Marielle Franco foi assassinada pelo golpe comandado por interesses estratégicos externos e pela elite rentista. Ela era uma liderança popular que militava contra os golpistas e em defesa dos mais pobres, das mulheres, dos negros, dos direitos humanos. Sua execução foi política, um ato de terrorismo de Estado, e é assim que deve ser enfrentada.

Os tiros que derrubaram Marielle atingiram o Brasil.

Desde o golpe de 2016, as instituições brasileiras estão em frangalhos. Executivo, judiciário, legislativo perderam credibilidade e se enredaram numa teia de corrupção, desmandos, ilegalidades. A quadrilha que se aboletou em Brasília saqueia o país e entrega a estrangeiros as riquezas, os empregos, o futuro. Subalterno, o governo atende às vontades dos EUA.

As desigualdades crescem; a violência aumenta; a eleição presidencial está em risco. Num lance midiático e com propósito eleitoreiro, o desgoverno decretou intervenção militar no Rio. Como no período escravocrata, tenta impor às Forças Armadas a tarefa de capitães do mato –naquela época, a recusa do Exército de perseguir e prender escravos rebelados precipitou o fim da escravidão e o início da República.

Sob essa intervenção desastrada e inconstitucional é que ocorrem as execuções de Marielle e de Anderson Gomes. O golpe deu sinal verde à sanha fascista que perambulava nos esgotos do país e que agora vivencia o poder. Todos os que articularam o golpe puxaram o gatilho.

Negra, filha da comunidade da Maré e forjada na luta popular, não deixava de denunciar os ataques à democracia. Há poucos dias, comentando o encontro entre Temer e Carmem Lúcia, Marielle escreveu: “E eu só consigo lembrar do áudio do Jucá: ‘Num grande acordo nacional, com Supremo, com tudo’. Alguém ainda tem a audácia de falar que não foi golpe?”

No Dia Internacional da Mulher, declarou: “Hoje, 8 de março, às 5h30 da manhã, as Mulheres Sem Terra ocuparam O Globo em protesto contra a mídia golpista, a favor da democracia e por uma eleição justa! Viva a luta das mulheres! Viva as trabalhadoras rurais!”.

A enorme reação popular ao crime deixa os golpistas desnorteados. Alguns balbuciam desculpas cínicas e esfarrapadas. Buscam embrulhar o terror em versão dissociada do golpe em curso, jogando esse crime político na conta da violência cotidiana.

A execução deixa claro que o país vive uma batalha de vida e de morte. Em manobras diversionistas, o inimigo tenta, com sua retórica global neoliberal, embaçar a resistência, imobilizar os brasileiros em escaninhos pré-moldados e delimitados, fomentar querelas.

É vital repelir essas maquinações e impedir que os protestos se consumam em visões estreitas e parciais da crise, que dão tempo e abrem espaço para o golpismo se recuperar.

O momento é de união para enfrentar esse crime e dar um basta ao golpe que destrói o Brasil e assassina os brasileiros. As lideranças progressistas, os dirigentes partidários, de sindicatos e movimentos populares, os candidatos precisam priorizar a resposta conjunta ao ataque.

De pronto, tal como foi feito em homenagem a Vladimir Herzog no brutal período da ditadura, urge organizar uma grandiosa e ampla celebração unitária em memória da luta de Marielle. Ocupar a Candelária, onde ela discursou no 8 de Março, e avançar para reconstruir a democracia.

ANOTE AÍ:

Fonte do conteúdo integral desta matéria: http://tutameia.jor.br/assassinato-de-marielle-e-consequencia-do-golpe/

Marielle Fernando Carvall

Arte: Fernando Carvall, especial para o TUTAMÉIA

Salve! Pra você que chegou até aqui, nossa gratidão! Agradecemos especialmente porque sua parceria fortalece  este nosso veículo de comunicação independente, dedicado a garantir um espaço de Resistência pra quem não tem  vez nem voz neste nosso injusto mundo de diferenças e desigualdades. Você pode apoiar nosso trabalho comprando um produto na nossa Loja Xapuri  ou fazendo uma doação de qualquer valor pelo PIX: contato@xapuri.info. Contamos com você! P.S. Segue nosso WhatsApp: 61 9 99611193, caso você queira falar conosco a qualquer hora, a qualquer dia. GRATIDÃO!

Caminhando na Floresta


 E-Book Caminhando na Floresta

Um livro imperdível sobre a experiência do autor na convivência com os seringueiros do Vale do Acre nos tempos de Chico Mendes.

[button color=”red” size=”normal” alignment=”center” rel=”nofollow” openin=”newwindow” url=”https://lojaxapuri.info/produto/e-book-caminhando-na-floresta/”]COMPRE AQUI[/button]

Caminhando na Floresta

Block

Era novembro de 2014. Primeiro fim de semana. Plena campanha da Dilma. Fim de tarde na RPPN dele, a Linda Serra dos Topázios. Jaime e eu começamos a conversar sobre a falta que fazia termos acesso a um veículo independente e democrático de informação.

Resolvemos fundar o nosso. Um espaço não comercial, de resistência. Mais um trabalho de militância, voluntário, por suposto. Jaime propôs um jornal; eu, uma revista. O nome eu escolhi (ele queria Bacurau). Dividimos as tarefas. A capa ficou com ele, a linha editorial também.

Correr atrás da grana ficou por minha conta. A paleta de cores, depois de larga prosa, Jaime fechou questão – “nossas cores vão ser o vermelho e o amarelo, porque revista tem que ter cor de luta, cor vibrante” (eu queria verde-floresta). Na paz, acabei enfiando um branco.

Fizemos a primeira edição da Xapuri lá mesmo, na Reserva, em uma noite. Optamos por centrar na pauta socioambiental. Nossa primeira capa foi sobre os povos indígenas isolados do Acre: ‘Isolados, Bravos, Livres: Um Brasil Indígena por Conhecer”. Depois de tudo pronto, Jaime inventou de fazer uma outra boneca, “porque toda revista tem que ter número zero”.

Dessa vez finquei pé, ficamos com a capa indígena. Voltei pra Brasília com a boneca praticamente pronta e com a missão de dar um jeito de imprimir. Nos dias seguintes, o Jaime veio pra Formosa, pra convencer minha irmã Lúcia a revisar a revista, “de grátis”. Com a primeira revista impressa, a próxima tarefa foi montar o Conselho Editorial.

Jaime fez questão de visitar, explicar o projeto e convidar pessoalmente cada conselheiro e cada conselheira (até a doença agravar, nos seus últimos meses de vida, nunca abriu mão dessa tarefa). Daqui rumamos pra Goiânia, para convidar o arqueólogo Altair Sales Barbosa, nosso primeiro conselheiro. “O mais sabido de nóis,” segundo o Jaime.

Trilhamos uma linda jornada. Em 80 meses, Jaime fez questão de decidir, mensalmente, o tema da capa e, quase sempre, escrever ele mesmo. Às vezes, ligava pra falar da ótima ideia que teve, às vezes sumia e, no dia certo, lá vinha o texto pronto, impecável.

Na sexta-feira, 9 de julho, quando preparávamos a Xapuri 81, pela primeira vez em sete anos, ele me pediu para cuidar de tudo. Foi uma conversa triste, ele estava agoniado com os rumos da doença e com a tragédia que o Brasil enfrentava. Não falamos em morte, mas eu sabia que era o fim.

Hoje, cá estamos nós, sem as capas do Jaime, sem as pautas do Jaime, sem o linguajar do Jaime, sem o jaimês da Xapuri, mas na labuta, firmes na resistência. Mês sim, mês sim de novo, como você sonhava, Jaiminho, carcamos porva e, enfim, chegamos à nossa edição número 100. E, depois da Xapuri 100, como era desejo seu, a gente segue esperneando.

Fica tranquilo, camarada, que por aqui tá tudo direitim.

Zezé Weiss

P.S. Você que nos lê pode fortalecer nossa Revista fazendo uma assinatura: www.xapuri.info/assine ou doando qualquer valor pelo PIX: contato@xapuri.info. Gratidão!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Parcerias

Ads2_parceiros_CNTE
Ads2_parceiros_Bancários
Ads2_parceiros_Sertão_Cerratense
Ads2_parceiros_Brasil_Popular
Ads2_parceiros_Entorno_Sul
Ads2_parceiros_Sinpro
Ads2_parceiros_Fenae
Ads2_parceiros_Inst.Altair
Ads2_parceiros_Fetec
previous arrowprevious arrow
next arrownext arrow

REVISTA

REVISTA 115
REVISTA 114
REVISTA 113
REVISTA 112
REVISTA 111
REVISTA 110
REVISTA 109
previous arrowprevious arrow
next arrownext arrow

CONTATO

logo xapuri

posts recentes