Amor e Ternura: As armas políticas de Lula

Amor e Ternura: As armas políticas de Lula

Jornal francês analisa foto de Lula e diz que amor e ternura são suas armas políticas

O jornal francês La Croix do 26 de agosto traz uma matéria sobre a foto divulgada pela namorada de Lula, Janja Lula Silva, no Twitter. Na imagem, que viralizou nas redes, o casal aparece abraçado sob o luar em uma praia do Ceará. Para o diário, o amor e a ternura são as armas políticas do candidato à presidência do PT em 2022.
Do portaldoscomuns

“Por meio de uma foto que causou sensação nas redes sociais nesta semana, o ex-presidente brasileiro se apresenta viril, musculoso e jovial para enfrentar seu rival Jair Bolsonaro nas urnas do final de 2022”, diz La Croix.

Em meio a discussões calorosas sobre se a foto divulgada pela namorada do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva é política ou não, o jornal francês afirma que sim. A correspondente do La Croix em São Paulo, Marie Naudascher, entrevistou um especialista que analisa o registro “para além da ternura”.“A semiótica desta imagem remete a um homem idoso, mas em grande forma, acompanhado por uma mulher mais jovem, enquanto as fotos de Bolsonaro mostram sempre um homem barrigudo e preguiçoso”, nota Paulo Ramirez, professor de Ciência Política da Escola Superior de Propaganda e Marketing de São Paulo.

Jornal La Croix, 26/08/2021. © Captura de tela La Croix

Paz e amor

Em um momento em que o Brasil bate recordes de desemprego, pobreza e contaminação por Covid-19, “a política, pela primeira vez, provocou (um pouco de) sorrisos”, diz o jornal.“Lula volta ao seu slogan de ‘Lula paz e amor’ dos anos 2000, e no contexto obscuro em que vivemos, ele está jovial, apaixonado e pronto para a luta política”, analisa Paulo Ramirez, em entrevista ao La Croix.Amor e ternura são temas que podem fazer sorrir, analisa o jornal, completando que Lula quer se apresentar como candidato da conciliação, tanto em relação aos círculos financeiros quanto aos militares que se distanciaram do atual presidente.

“Bolsonaro é sempre impetuoso, ataca as instituições, insulta a imprensa. Em contrapartida, Lula está calmo e pronto para o diálogo, defensor da democracia”, diz Paulo Ramirez.

 

“É uma foto irreverente, publicada apenas nas redes sociais, compartilhada no WhatsApp e não nos documentos oficiais do PT, é muito boa para uma pré-campanha”, saúda Gustavo Vidigal, doutorando em ciência política e próximo do PT, em entrevista ao La Croix.

 

Musculatura como argumento político

O ex-funcionário do Ministério da Cultura do governo Lula lembra que as campanhas políticas são exaustivas em um país continental como o Brasil: “Viajamos dois meses pelo país, pegamos ônibus e avião no mesmo dia, então mostrar que está em boa forma é essencial”.Por fim, La Croix esclarece que a foto foi tirada durante uma recente turnê política “em seu Nordeste natal” e quase não foi veiculada pela grande imprensa brasileira. “Nem foram publicados seus dez dias de caravana nos estados do Nordeste: Lula já está fazendo alianças políticas com os governadores e a imprensa mal fala nisso”, observa Gustavo Vidigal.Depois de passar 580 dias na prisão por suspeita de corrupção, a musculatura de quem governou o Brasil de 2002 a 2010 é, portanto, um argumento bastante político, conclui La Croix. Inocentado e elegível novamente, Lula tem 40% das intenções de voto contra 24% de Jair Bolsonaro, segundo pesquisa publicada em meados de agosto.

 

Fonte: rfi.fr

Capa: Ricardo Stuckert 

CONTINUA DEPOIS DO ANÚNCIO

https://xapuri.info/leonardo-boff-a-ternura-vital/

Block

Era novembro de 2014. Primeiro fim de semana do mês. Plena campanha da Dilma. Fim de tarde na RPPN Linda Serra dos Topázios, do Jaime Sautchuk, em Cristalina, Goiás. Jaime e eu começamos a conversar sobre a falta que fazia termos acesso a um veículo de informação independente e democrático, mas com lado. Ali mesmo, naquela hora, resolvemos criar o nosso. Um espaço não comercial, de resistência. Um trabalho de militância, tipo voluntário, mas de qualidade, profissional.
Jaime propôs um jornal; eu, uma revista. O nome, Xapuri, eu escolhi (ele queria Bacurau). Dividimos as tarefas. A capa ficou com ele, a linha editorial também. Correr atrás de grana ficou por minha conta. A paleta de cores, depois de larga prosa, ele escolheu (eu queria verde-floresta).
Fizemos a primeira edição da Xapuri lá mesmo, na Reserva, praticamente em uma noite. Já voltei pra Brasília com uma revista montada e com a missão de dar um jeito de diagramar e imprimir.
Nos dias seguintes, o Jaime veio pra Formosa, pra convencer minha irmã Lúcia a revisar a revista, no modo grátis. Daqui, rumamos pra Goiânia, pra convidar o arqueólogo Altair Sales Barbosa para o Conselho Editorial. Altair foi o nosso primeiro conselheiro. Até a doença se agravar, Jaime fez questão de explicar o projeto e convidar, ele mesmo, cada pessoa para o Conselho.
O resto é história. Jaime e eu trilhamos juntos uma linda jornada. Depois da Revista Xapuri veio o site, vieram os e-books, a lojinha virtual (pra ajudar a pagar a conta), os podcasts e as lives, que ele amava. Em 80 meses, Jaime fez questão de decidir, mensalmente, o tema da capa e, quase sempre, escrever ele mesmo a matéria.
Na tarde do dia 14 de julho de 2021, aos 67 anos, depois de longa enfermidade, Jaime partiu para o mundo dos encantados. No dia 9 de julho, quando preparávamos a Xapuri 81, pela primeira vez em sete anos, ele me pediu para cuidar de tudo. Foi uma conversa triste, ele estava agoniado com o agravamento da doença e com a tragédia que o Brasil enfrentava. Não falamos em morte, mas eu sabia que era o fim.
É isso. Agora aqui estou eu, com uma turma fantástica, tocando nosso projeto, na fé, mas às vezes falta grana. Você pode me ajudar a manter o projeto assinando nossa revista, que está cada dia mió, como diria o Jaime. Você também pode contribuir conosco comprando um produto em nossa lojinha solidária (lojaxapuri.info) ou fazendo uma doação via pix: contato@xapuri.info. Gratidão!
Zezé Weiss
Editora