BIA DE LIMA, BIA DE LUTA!

BIA DE LIMA, BIA DE LUTA!

Bia de Lima é dessas mulheres que espalham luz por onde passam. Outro dia em Formosa, em reunião com uma meia centena de profissionais de Educação, a pedagoga Bia, goiana de Jataí, especialista em educação brasileira pela Universidade Federal de Goiás (UFG), moveu corações e mentes em defesa da categoria, dos movimentos sociais e da democracia.

Por Zezé Weiss

Carinhosa no trato, mas firme, muito firme, na defesa da plataforma de direitos da Educação goiana e das conquistas sociais da sociedade brasileira, a presidenta licenciada da CUT-Goiás e do Sintego, duas vezes vereadora em Jataí  (1997–2001 e 2001–2004), Bia mantém a mesma energia, o mesmo vigor e a mesma paixão da estudante dos anos 1980, quando militou no Movimento Reviravolta e presidiu o Centro Acadêmico Paulo Freire da UFG.

Eleita três vezes para presidenta do Sintego, a última, em 2021, com mais de 90% dos votos da categoria, Bia se orgulha muito da conquista da Lei do Piso, no governo Lula: “Nossa categoria lutou 200 anos para ter um piso salarial e, no seu governo, o presidente Lula sancionou a Lei. Mas é preciso muito mais, é preciso travar uma batalha constante para garantir que a Lei do Piso seja integralmente cumprida em nosso estado de Goiás.”

E é para lutar, principalmente, em defesa dos direitos da Educação, que Bia de Lima aceitou o pedido da categoria e colocou seu nome à disposição para se candidatar a deputada estadual pelo PT-Goiás nas eleições de 2022. “Entro na disputa porque o Executivo goiano vem fazendo tudo para destruir nossa carreira e é preciso mais gente na luta para lutar por nossos direitos,” diz Bia.

Entretanto, a plataforma política de Maria Euzébia de Lima, que gosta muito do seu próprio nome porque homenageia suas duas avós, por nós conhecida como Bia, este apelido afetivo que nos conecta com a menina que começou seus estudos na zona rural de Serranópolis, vai muito além da Educação.

Militante orgânica das lutas antirracista, anti-homofóbica, antiviolência contra a mulher, Bia é também uma contundente defensora dos direitos das pessoas com deficiência, das pessoas idosas, dos animais e da natureza.  E, surpresa para muita gente, no programa de Bia prepondera, com destaque, a defesa da agricultura familiar.

Sim, em sua palestra em Formosa, Bia fez questão de falar sobre sua paixão pela luta do campo. “Sim, sou professora com muito orgulho, mas também sou uma pequena agricultora familiar e disso também me orgulho muito. É lá, na minha rocinha, que eu recarrego as energias para seguir lutando por dias melhores para as pessoas que lutam pela pequena agricultura no campo brasileiro.”

Mãe do artesão Gustavo, militante inconteste da luta democrática, Bia segue sua jornada em defesa de dias melhores para Goiás e para o Brasil. Boa sorte, Bia!

CONTINUA DEPOIS DO ANÚNCIO