Pesquisar
Close this search box.
Super-rede / Super-grid

Energia Renovável: China, Coréia do Sul, Japão e Rússia planejam Super-Rede

Empresários da China, da Coréia do Sul, do Japão e da Rússia assinaram recentemente um Memorando de Entendimento para criar uma matriz energética de imensas proporções, uma Super-Rede com energia oriunda de fontes renováveis diversas.

Segundo seus organizadores, o objetivo da Super-Rede é levar energia renovável de países produtores para países consumidores em várias partes do mundo. o projeto vai demandar  a construção de uma rede de energia de voltagem extremamente alta, que operará a 1.000 kilowats AC e 800 kilowats DC, para se estender  ao longo de milhares de quilômetros.

Fruto da imaginação do empresário japonês Masayoshi Son, fundador e chefe do gigante de telecomunicações chamado SoftBank Group, o projeto pretende interligar redes de outras regiões, países e até continentes com uma capacidade de 10 gigawatts.

Após o desastre ambiental da  usina nuclear em Fukushima durante o terremoto em 2011, Son ficou tão abalado que subsequentemente fundou um Instituto de Energia Renovável para ajudar desenvolver e promover fontes de energia sustentáveis. “Até o terremoto, não entendia nada sobre energia renovável”, comentou Son.

A ideia de Son foi acessar o potencial de energia solar e eólica do deserto de Gobi, na China, que estima-se ser equivalente a milhares de usinas nucleares.  “As pessoas acharam a ideia louca,  um projeto politicamente impossível, mesmo assim decidi apostar no projeto”, diz Son.

Começaram a aparecer empresários interessados, primeiro na China e na Coréia do Sul. Em seguida, a Super-Rede atraiu o interesse de uma empresa gigante da Rússia.

O próximo passo foi a criação de uma entidade sem fins lucrativos, a Organização de Desenvolvimento e Cooperação para Interconectividade Energético Global (SoftBank Group da  Global Energy Interconnection Development and Cooperation Organization).

A organização, criada em  Beijing em março de 2016, é presidiada por Liu Zhenya, ex-presidente de State Grid,uma  empresa de matriz energética da China. Do Conselho da organização fazem parte representantes dos quatro países signatários e também representantes do setor energético e de  universidades de 14 países.

A  missão da entidade é interligar as redes elétricas de todo o mundo e atender a demanda global por meio de fontes renováveis. Segundo Zhenya, a Interconectividade Energética Global (GEI) com base em energia limpa é a única solução viável para resolver questões de limitação de insumos, poluição e mudança climática.

Zhenya acredita que se houver sabedoria e abertura para a ideia, a GEI poderá ser alcançada até o ano de 2050. “A tecnologia já existe, resta encontrar a vontade política para realizar o projeto”, diz Zhenya. Espera-se que a urgência atual de parar de encher a atmosfera com poluentes à base de carvão, que acelera o processo de mudança climática, irá motivar a cooperação entre as nações  para alcançar a interconectividade energética global.

supergrid

Fonte originária desta matéria: Cleantechnica.com

0 0 votos
Avaliação do artigo
Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks embutidos
Ver todos os comentários

Parcerias

Ads2_parceiros_CNTE
Ads2_parceiros_Bancários
Ads2_parceiros_Sertão_Cerratense
Ads2_parceiros_Brasil_Popular
Ads2_parceiros_Entorno_Sul
Ads2_parceiros_Sinpro
Ads2_parceiros_Fenae
Ads2_parceiros_Inst.Altair
Ads2_parceiros_Fetec
previous arrowprevious arrow
next arrownext arrow

REVISTA

REVISTA 112
REVISTA 109
REVISTA 110
REVISTA 111
REVISTA 108
REVISTA 107
REVISTA 106
previous arrowprevious arrow
next arrownext arrow

CONTATO

logo xapuri

posts recentes